"Voltaire e Max Giesinger"

O diretor da LIQUI MOLY, Ernst Prost, fala sobre os verdadeiros valores na vida

Bom dia, caros e caras companheiros(as),

"Auf das, was da noch kommt." Esta música de Lotte e Max Giesinger, intitulada "Ao que ainda aí vem", é uma das minhas músicas preferidas neste momento. Sim, aguardo com enorme expectativa aquilo que aí vem. Mesmo que já tenha 63 anos... Mas ainda tenho alguns anos pela frente. :)

Vamos regressar à normalidade, passo a passo. Espero é que não voltemos atrás... Não sei como se sentem, mas o coronavírus veio mostrar às pessoas quais são os nossos limites e quais são os verdadeiros valores da vida humana: compaixão, caridade, mas também espírito combativo. Queremos viver! Tudo aquilo que dávamos como certo, como a saúde, a liberdade, o lazer e um posto de trabalho seguro não é tão certo assim, como podemos ver agora. E muitas das cantilenas superficiais, da insistência e do embrutecimento é precisamente só isto: insistência e embrutecimento. É incrível tudo aquilo que se precisa para lutar contra o aparente aborrecimento e para passar o tempo, e o quão pouco é necessário para ter uma vida preenchida e feliz: família, amigos, encontros, sossego, musas e descontracção. E sim, incluo também o trabalho no nosso elixir para uma longa vida. Citando Voltaire: "O trabalho espanta três males: o vício, a pobreza e o tédio."

Nada mau: Voltaire e Max Giesinger!

Como diz a música "Quero bater na parede e voltar a levantar-me. Quero ser o maior optimista mesmo que só chova o dia todo. A cada tropeço, cada fracasso. Podemos ir um pouco mais longe. Ao que ainda aí vem."

Como já referi, espero viver e aproveitar convosco tudo o que ainda aí vem.

Com os meus melhores cumprimentos,

 

Ernst Prost