Wähle ein anderes Land oder eine andere Region, um Inhalte für deinen Standort zu sehen. Select another country or region to see content for your location. Seleccione otro país o región para ver el contenido de su ubicación. Selecteer een ander land of een andere regio om de inhoud van uw locatie te zien. Vælg et andet land eller område for at se indhold, der er specifikt for din placering. Voit katsoa paikallista sisältöä valitsemalla jonkin toisen maan tai alueen. Choisissez un pays ou une région pour afficher le contenu spécifique à votre emplacement géographique. Επίλεξε μια άλλη χώρα ή περιοχή, για να δεις περιεχόμενο σχετικό με την. Scegli il Paese o territorio in cui sei per vedere i contenuti locali. 別の国または地域を選択して、あなたの場所のコンテンツを表示してください。 Velg et annet land eller region for å se innhold som gjelder der. Escolha para ver conteúdos específicos noutro país ou região. Välj ett annat land eller område för att se det innehåll som finns där. Konumunuza özel içerikleri görmek yapmak için başka bir ülkeyi veya bölgeyi seçin. Chọn quốc gia hoặc khu vực khác để xem nội dung cho địa điểm của bạn

Diese Box wird angezeigt, da die Seitensprache nicht mit einer den Browsersprachen übereinstimmt.

Close




"Há dinheiro. O que falta é trabalho. Privilegiar o investimento!"

O diretor da LIQUI MOLY, Ernst Prost, fala sobre a obrigação de investir

Caros e caras colegas,

Se todos pararem de consumir e investir, podemos fechar as lojas... Sou amigo da poupança, mas agora não, por favor! Custe o que custar, agora, temos de investir e produzir com esse investimento para não produzirmos ainda mais desempregados... Já escrevi isto antes: as nossas infraestruturas estão periclitantes, assim como as nossas escolas. As pontes estão a cair aos bocados, as estradas parecem ter passado por um terramoto e as autoestradas digitais existem nos outros países, mas não na Alemanha. Há trabalho, mais do que suficiente. Também há dinheiro. Mais do que suficiente. Quem despede neste momento e começa a cortar indiscriminadamente para poupar prejudica toda a economia. Como é que um desempregado sem rendimentos consegue comprar coisas? Que produtos e serviços consegue adquirir? O medo (e a realidade) já são suficientemente grandes para se perder o emprego. Não podemos piorar uma situação que já de si é terrível, anunciando e levando a cabo reduções de postos de trabalho e renunciando ao investimento. Isto aplica-se da mesma forma às empresas e ao setor público. E, agora, é precisamente ao Estado que pedimos para fazer encomendas. O mesmo é válido para todas as empresas no nosso país. Caso contrário, vamos entrar automaticamente numa tenebrosa  espiral descendente. A missão dos políticos e dos empresários é movimentar a espiral no sentido inverso, rumo à recuperação! Investir, lançar encomendas e produzir para que se possa consumir. Só assim é possível evitar o desemprego e as falências. Poupar e parar tudo é nocivo para a conjuntura e para os nossos postos de trabalho. Como podemos aumentar as receitas fiscais sem produtividade, receitas e consumo?

Quem não concorda e recusa esta missão causa danos primeiro na economia e, depois, em si próprio porque a determinada altura se chega ao ponto em que o desemprego também afeta a própria empresa e, a prazo, todo o país. NÓS, na nossa empresa, decidimos privilegiar os investimentos nesta altura para darmos o nosso pequeno contributo para esta necessária reconstrução da nossa economia!!

Claro que vamos continuar os nossos investimentos em curso de forma coerente e planeada. Tudo o resto é contraproducente. Uma paragem de investimento prejudica outras empresas que vivem de encomendas – assim como todos nós. E porque todos nós vivemos num sistema interdependente, comportamentos egoístas como paragens de investimento e despedimentos acabam também por prejudicar cada um de nós. Quem travar agora para contar tostões e se armar em banqueiro vai despoletar um choque em cadeia. Quem pisar o acelerador vai impulsionar a economia. É disto que precisamos agora urgentemente e é o que NÓS fazemos.

Desejo-nos a todos uma semana feliz.

Com os meus melhores cumprimentos,

 Ernst Prost


Portugal

Europe

Bosna i Hercegovina
Czechia
Danmark
Deutschland
Eesti
España
France
Great Britain
Hrvatska
Ireland
Italia
Kosovë
Latvija
Lietuva
Magyarország
Nederland
Norge
Österreich
Polska
Portugal
Schweiz
Slovensko
Srbija
Suomi
Sverige
Türkiye
Ελλάδα
Беларусь
Македонија
Монтенегро
Россия
Србија
Украина

Asia Pacific

Australia
Brunei
Indonesia
Malaysia
Myanmar
New Zealand
Pakistan
Singapore
Thailand
Việt Nam
Казахстан
Киргизия
ישראל
ایران
中国
日本
대한민국

Americas

Argentina
Bolivien
Brasil
Chile
México
Paraguay
Perú
Trinidad & Tobago
Uruguay

The United States, Canada and Porto Rico

Canada
USA

Africa, Middle East and India

South Africa
Uganda