Condução todo-o-terreno melhorada com a LIQUI MOLY

Volker Ehrenstein transformou o seu todo-o-terreno num veículo ainda mais robusto com a LIQUI MOLY

Um adepto da condução todo-o-terreno enviou-nos uma história fora do comum: Volker Ehrenstein revestiu por completo o seu Toyota FJ Cruiser com produto de proteção contra o impacto de pedras da LIQUI MOLY.

Com o produto de proteção contra o impacto de pedras da LIQUI MOLY, o veículo de Volker Ehrenstein não só tem bom aspeto, como também está protegido de forma ideal

Como teve essa ideia invulgar?

Quem usa o seu veículo todo-o-terreno para a finalidade a que se destina sabe qual o problema: muitos percursos, mesmo nas montanhas e florestas europeias, têm passagens estreitas. Temos de nos desviar de pedras e rochas, ou sair do caminho. Mas nem sempre é possível remover galhos, arbustos espinhosos e semelhantes. Ou nem sequer queremos fazer isso porque, afinal, gostamos de proteger a natureza em vez de a destruir. O contacto inevitável e muitas vezes intenso com a natureza risca muitas vezes a pintura, danificando frequentemente também componentes de montagem. Por isso, para além da fixação eficaz de bagagens e peças de montagem, qualquer praticante a sério de condução todo-o-terreno pretende mais cedo ou mais tarde aplicar uma proteção adequada para a pintura ou, ainda melhor, uma pintura robusta. As soluções conhecidas, como a película de pulverização ou a aplicação de uma película completa, não são suficientes para proteger de danos provocados por galhos grossos, espinhos e impactos de pedras. Experimentei as duas soluções e achei-as inadequadas.

Eis o aspeto do FJ Cruiser de Volker Ehrenstein antes do restyling

Havia outras opções?

Basicamente, havia apenas a possibilidade de aplicar uma pintura especial, por exemplo, um revestimento Bedliner (nota do redator: revestimento espesso que protege muito bem a pintura, especialmente para as superfícies de carga das pick-ups), conforme acontece no caso das superfícies de carga das pick-ups. Para mim, houve dois motivos para não fazer isso:

1. Os custos: por menos de 5000 era impossível;

2. O veículo fica normalmente com um aspeto muito, mas muito rústico. Talvez fosse possível para quem gostasse de ter uma boa proteção visual contra o roubo

Graças ao produto de proteção contra o impacto de pedras da LIQUI MOLY, os terrenos exigentes e cheios de lama poucos danos podem provocar na pintura

Por que motivo usou o produto de proteção contra o impacto de pedras da LIQUI MOLY para isso?

Aconteceu mais ou menos por acaso. Já que vivo no campo e passo por estradas de cascalho todos os dias, pulverizei as cavas das rodas traseiras com o spray de proteção contra o impacto de pedras de forma a obter uma melhor proteção “geral”. E funcionou! A superfície fica com uma leve película cor-de-laranja duradoura, que até se torna resistente a solventes depois de endurecer. Por causa disso, acabei por experimentar. Num primeiro momento, experimentei desenhar tiras, a medo e com grande expectativa, nas minhas portas traseiras, lixei-as um pouco e revesti-as de três a quatro camadas, sem deixar secar cada uma delas. O resultado deixou-me totalmente convencido. Tinha ficado muito melhor do que aquilo que eu esperava.

O produto de proteção contra o impacto de pedras é ideal como substituição e complemento à proteção contra o impacto de pedras existente de fábrica em saias traseiras, spoilers, partes dianteiras, embaladeiras, e muito mais.

Parece engenhoso, mas moroso.

De modo algum. É muito fácil trabalhar com o material, os erros podem ser corrigidos de forma invisível se necessário e eis que surge uma verdadeira película protetora, resistente e relativamente robusta. Pouco a pouco, revesti então cada componente com latas de spray. Agora, os riscos já não “passam”, o isolamento acústico do carro melhorou e o aspeto é exatamente como deve ser.

Uma solução perfeita para mim que já despertou um grande interesse até agora, tanto durante o Salão “Abenteuer Allrad” em Bad Kissingen como durante o “Buschtaxitreffen” em Storndorf. Além disso, sou constantemente abordado na rua, não só por causa do aspeto invulgar do veículo para os padrões alemães, como também, e especialmente, devido à pintura.

Além disso, o aspeto preto e mate fica muito bem no carro.

De onde vem o seu fascínio pela condução todo-o-terreno?

Já quando era criança andava de trator por terrenos irregulares, mas foi na tropa que descobri verdadeiramente o que era graças aos “Kübel”, “Iltis” e “Unimog”. Entre 1989 e 1992, vivi na América do Sul e aí, o meu primeiro veículo todo-o-terreno “verdadeiro” foi um jeep CJ 7 Renegade. Foi aí que acabei por ficar completamente com o bichinho. Fiquei muitas vezes parado em rios porque o jeep se imobilizava neles. Seguiu-se a primeira renovação autónoma de maior dimensão para a técnica da Toyota e, assim, fiquei com um carro que funcionava verdadeiramente bem. Mais tarde na Alemanha seguiu-se um Lada Niva muito alterado. Mas quando se tornou demasiado pequeno, passei para um Trax Tempo Ghurka indiano. Também ele tinha duas portas a menos do que seria desejável, pelo que um Rover Discovery iria suceder-lhe, tendo sido então substituído por três jeeps Grand Cherokee. Hoje, ando com o Toyota FJ Cruiser, com o qual estou plenamente satisfeito.

Na verdade, o meu fascínio pela condução todo-o-terreno é mais um fascínio pela natureza, que aproveito preferencialmente nas montanhas. Aí, há passagens difíceis e percursos cheios de adrenalina e de cortar a respiração, rios para atravessar, verdadeiras possibilidades para encontrar o seu espaço pessoal para montar a tenda ou estacionar o veículo, ou seja, é uma experiência inacreditavelmente intensa em termos de natureza.

Volker Ehrenstein é um fã da condução todo-o-terreno e sabe apreciar as qualidades do produto de proteção contra o impacto de pedras da LIQUI MOLY

E quais os seus futuros planos com o seu FJ Cruiser?

O meu FJ Cruiser é o carro ao qual mais nenhum carro irá suceder. Após mais de 265 000 km, a sua qualidade convenceu-me. 175 000 km foram percorridos por mim. Além disso, o carro é perfeito para as minhas necessidades. Os equipamentos que considero essenciais, como, por exemplo, a tração permanente às quatro rodas, uma suspensão mais adequada à condução todo-o-terreno e mais estável, o sistema de gás, o muito importante produto de proteção contra o impacto de pedras da LIQUI MOLY: todos estes pré-requisitos estão satisfeitos. Todas as renovações que eram importantes para mim foram possíveis com a bênção da inspeção técnica alemã TÜV. No entanto, após voltas maiores, e pelo menos uma vez por ano, há sempre uma ou outra renovação, uma ou outra alteração que tem de ser resolvida durante o inverno e a primavera. Este veículo é o meu companheiro de vida material e muda consoante as circunstâncias da minha vida. Por exemplo, há quase três anos que tenho uma incapacidade física decorrente de um acidente e o carro foi adaptado de forma a que eu o pudesse operar apenas com quase uma mão, e isso também na condução todo-o-terreno. O carro ainda vai receber um compressor fixo, um sistema de baterias avançado com painéis solares e o que me vier à ideia.

Toca a meter-se no matagal, sem preocupações de pintura

O seu veículo todo-o-terreno parece ser o seu parceiro, tal como o KITT e o Kight Rider ou o Colt Seavers e a pick-up GMC Sierra:

é quase. Faz parte da minha família e tenho-o muito estimado. Levou-nos várias vezes para os Alpes Marítimos franceses e italianos. Atravessámos os Pirenéus desde o Oceano Atlântico até ao Mar Mediterrâneo. A Roménia e os outros países da Europa do Leste já estavam na lista. No próximo ano, temos uma volta inofensiva para dar: o programa é a Escócia e as ilhas Orkney. Não temos mais planos, mas um dos destinos será ainda o Norte dos Pirenéus. Ambos os lados da fronteira são incrivelmente agrestes, rudes e intensos em termos de natureza. Para os percursos de vários meses, temos ainda previsto a Islândia e uma viagem ao Norte da Noruega para os próximos anos. Mas esperamos não nos contentar com isso. E porque ainda temos todos esses planos, já nos abastecemos a longo prazo com produto de proteção contra o impacto de pedras LIQUI MOLY.

E porque ainda temos todos esses planos, já nos abastecemos a longo prazo com produto de proteção contra o impacto de pedras LIQUI MOLY.

ENCONTRAR FONTE DE REFERÊNCIA

PARA O PRODUTO